domingo, 18 de janeiro de 2015

Deixaste-me o desejo na pele a escorrer pelos poros, em fogo que não apaga e que incendeia os sentidos com o olhar que lanças, com o toque que desesperas, nas pontas dos dedos aceleras e o rascunhas e percorres, como um lápis de carvão ou como um rio que segue o seu leito.
E com um abraço distante e quente, como por magia ou por encanto, rasgaste-me a pele com o desejo de me teres, sem espanto.

AC ________ Alice Coelho

1 comentário: